Aviso: O conteúdo aqui apresentado tem uma finalidade exclusivamente informativa sobre um tipo específico de jogo e como jogá-lo. O objetivo deste conteúdo não é nem promover nem disponibilizar um tipo de jogo, mas simplesmente informar o jogador acerca de como jogá-lo.


Par de Reis é a segunda mão inicial mais forte no poker. Se conseguir meter toda a sua stack no meio pré-flop, parabéns, é muito provável que esteja à frente do range do seu adversário.

Contudo, muitas vezes, somos forçados a ver um flop com par de Reis. Seja num single-raised pot (SRP) [pote com apenas um raise pré-flop] ou num pote em 3-bet+. E, para alguns jogadores menos experientes, isto pode complicar um pouco as coisas – lidar com o jogo pós-flop com pares de mão altos.

  • Alguns continuam a carregar no acelerador numa board Ás-alto, presos no sentimento de que merecem ganhar sempre que recebem par de Reis;
  • Outros continuarão a meter fichas no meio em boards secas contra adversários tight que apenas fazem call e que podem muito bem ter um set considerando a ação pré-flop, as posições dos jogadores e a textura da board;
  • Outros até poderão ficar tímidos com Reis e perdem a oportunidade de capitalizar e receber todo o valor possível quando surge a situação certa. Jogam com demasiada passividade.

De qualquer forma, ter a capacidade de jogar pares de mão altos (como Reis) é parte integral de uma boa estratégia de poker. Estas grandes mãos pré-flop têm o potencial de nos dar ganhos significativos no longo prazo. E é por isso que vamos dedicar este artigo a como jogar par de Reis, dando-lhe tudo o que precisa para ganhar o máximo possível com esta mão.


Índice

  1. Que Alcunhas São Dadas a Par de Reis?
  2. Porque Chamam “Cowboys” ao Par de Reis?
  3. Com que Frequência os Pares de Reis Ganham?
  4. Par de Ases vs Par de Reis
  5. Par de Reis vs Ás-Rei
  6. Par de Reis vs Ás-Dama
  7. Par de Reis vs Ás-Valete
  8. Como Jogar Par de Reis Pré-flop
  9. Podemos Fazer Fold a Par de Reis Pré-flop?
  10. Par de Reis: All-in
  11. Quando Fazer Fold a Par de Reis?
  12. Ases Contra Reis
  13. Como Bater Par de Reis
  14. Estratégia: Como Jogar Reis num Flop Ás-alto
  15. Sumário


Que Alcunhas São Dadas a Par de Reis?

Os jogadores de poker usam, por vezes, alcunhas para se referirem a certas mãos. A alcunha mais popular para par de Reis é “Cowboys”, seguida da menos utilizada “King Kong”. Também há quem lhes chame os “Ímanes de Ases” devido à quantidade de vezes que parecem atrair Ases para a board sempre que um jogador os tem. 

Porque Chamam “Cowboys” ao Par de Reis?

par de reis cowboys


Um “Rei” num baralho de cartas é, por vezes, chamado de “cowboy” (tal como “duque” é utilizado para denominar um 2, por exemplo). Por este motivo, se tiver dois Reis na mão, diz-se que tem Cowboys.

Com que Frequência os Pares de Reis Ganham?

No geral, um par de Reis terá sempre uma vantagem pré-flop significativa com uma equity que, no mínimo, bate nos 70% (exceto quando estão contra par de Ases).

Sublinhamos que assim que o flop vira, dependendo do quão coordenada é a board e do quanto a mão do adversário conecta com ela, a equity do par de Reis pode mudar drasticamente! É importante saber quando apostar, fazer check ou fold de forma a minimizar as perdas quando estamos batidos e maximizar os ganhos quando estamos na frente.

NOTA: Os capítulos seguintes deste artigo mostrarão equities em situações em que KK está contra uma mão inicial específica.

Par de Ases vs Par de Reis

Ases vs Reis é um confronto clássico do poker que é, também, um dos coolers mais comuns do jogo. É quase impossível que as fichas não acabem todas no meio pré-flop em situações como esta. Em ocasiões onde se acaba por jogar pós-flop, será sempre num pote em 3-bet ou 4-bet onde o SPR pós-flop será, quase sempre, bastante baixo. Nessas situações, as stacks dos restantes jogadores irem parar ao meio é praticamente inevitável. 

As equities pré-flop para AA vs KK dão a vitória aos Ases cerca de 82% das vezes, com os Reis a dar o suck out 18% das vezes. Dentro desta margem, eles acabam por empatar cerca de 0.5% das vezes.

Par de Reis vs Ás-Rei

Reis vs Ás-Rei é outro confronto bastante comum que pode ser visto quando as fichas vão todas parar ao meio antes do flop. Apesar de KK bloquear metade dos combos de AK, há ainda 8 combos disponíveis.

As equities pré-flop dão a vitória a KK 69% das vezes, a maioria, portanto. AK, por sua vez, ganha cerca de 31% das vezes. Dentro desta margem, eles acabam por empatar cerca de 0.8% das vezes.

Par de Reis vs Ás-Dama

É mais provável ver um confronto destes numa situação de all-in em torneios de poker do que em cash games (devido às stacks mais pequenas). As equities pré-flop não diferem muito da situação anterior (vs AK). Contudo, KK ganham alguma equity vencendo cerca de 71% dos confrontos vs AQ.

Par de Reis vs Ás-Valete

A equity neste confronto é praticamente a mesma que verificamos contra AQ, em que os cowboys ganham cerca de 71% das vezes. Tal como Reis vs AQ, é bastante improvável este confronto ter lugar num cash game, estando reservado quase a 100% para os torneios.

Como Jogar Par de Reis Pré-flop

par de reis


No geral, par de Reis é uma mão que não deve ser jogada devagar pré-flop. Como tal, deve quase sempre fazer raise com esta mão (caso seja o primeiro jogador a entrar no pote) ou fazer 3-bet/squeeze caso alguém já tenha tomado a iniciativa de fazer raise anteriormente.

Adicionalmente, se puder fazer 4-bet ou 5-bet shove com Reis, raramente será um erro. Poderá negar equity a mãos piores enquanto, simultaneamente, ganha valor dessas mesmas mãos (exceto quando acaba por estar contra AA, como é óbvio).

Sublinhamos que é essencial focar-se em incorporar Reis numa estratégia pré-flop balanceada. Alguns jogadores farão limp de todo o seu range jogável, mas apenas farão raise (ou farão um raise maior do que o normal) com mãos como QQ+/AK. Jogar as suas mãos premium mais fortes desta forma é equivalente a virar as cartas e mostrá-las a toda a mesa ainda antes sequer de participar em qualquer ação pós-flop (isto também se aplica caso tenha um range de 3-bet/4-bet demasiado tight).

Por isso, é aconselhável ter um range de mãos iniciais linear (raise ou fold) que inclua KK. Deve eliminar o limp da sua estratégia pré-flop quase inteiramente (exceto em situações específicas como aquelas que delineámos no nosso artigo dedicado aos limps).

Da mesma forma, para um range de 3-bet, é vital manter-nos balanceados e expandir o número de mãos com que o fazemos, seja ao incluir alguns bluffs como a alargar o número de mãos de valor. Desta forma, tornamos a tarefa de jogar contra nós, muito mais difícil para os nossos adversários.

É, alguma vez, aceitável fazer limp pré-flop com KK?

Geralmente, se uma mão for boa o suficiente para fazer limp, também é boa o suficiente para fazer raise. A única situação em que um limp poderá ser considerado com KK é no caso de você ter uma stack pequena e pretender tentar fazer limp/shove (numa situação em que já tem um range de limp definido). Isto, assumindo que tem jogadores agressivos à sua esquerda que, provavelmente, atacarão o seu limp.

Outra situação interessante que pode instigar um limp com KK é num cenário em que as stacks são maiores, mas AMBOS os pontos seguintes devem verificar-se:

  • A sua mesa é passiva e está cheia de jogadores que adoram ver flops;
  • Tem um jogador agressivo diretamente à sua esquerda que atacará o seu limp.

A razão pela qual pode ser vantajoso fazer limp com KK nesta situação é, se fizer raise, todos poderão fazer call (incluindo o LAG, com um range amplo) e você verá um flop contra vários jogadores (multiway), o que nunca é bom com grandes pares de mão. Teria muita dificuldade em saber como agir pós flop com a sua equity, naturalmente, mais baixa na mão com base, puramente, no número de jogadores envolvidos. 

Mas, caso faça limp, o LAG faça raise e os restantes façam call (talvez 5+ jogadores), haverá dinheiro suficiente no pote para justificar ir all-in e ganhar o dinheiro morto no meio de imediato. (Caso fazer raise implicasse investir mais de 1/3 da sua stack, ir all-in é uma jogada aceitável e bastante superior ao limp.)

Contudo, para além desta exceção em particular, Reis devem, geralmente, ser jogados de forma bastante agressiva pré-flop, através de algum tipo de raise. Fazê-lo também ajudará a diminuir o Stack to Pot Ratio (SPR), o que tornará o jogo pós-flop mais fácil. 

É, alguma vez, aceitável fazer call pré-flop com KK após open-raise/3-bet/4-bet?

Fazer algo “sempre” ou “nunca” no poker é perigoso e deve ser evitado. Num jogo de informação incompleta, será muito mais difícil jogar contra nós se nos desviarmos de comportamentos padrão uma determinada percentagem das vezes (independentemente do quão pouco frequentemente pode acabar por acontecer, na prática).

Sim, com Reis devemos ter uma mentalidade de “bora lá meter as fichas todas no meio” na maioria das vezes. Mas especialmente contra adversários mais competentes (e também quando temos uma stack enorme), devemos adicionar alguns flat-calls à mistura. Isto pode ser feito com o intuito de tentar um squeeze inverso (fazer call contra um open-raise e esperar que um jogador à nossa esquerda faça 3-bet squeeze) ou simplesmente para jogar um pote pós-flop com uma mão que não deveria estar no range (mais vs 3-bets ou 4-bets).

Podemos Fazer Fold a Par de Reis Pré-flop?

Eis a única situação em que pode fazer fold a Reis pré-flop: Deve ter a certeza absoluta de que um dos jogadores envolvidos no pote tem par de Ases 100% das vezes numa situação idêntica (ou um range de KK+). Você estaria empatado ou atrás – e mesmo assim, estaria a bloquear todos os combos de KK menos um.

Na maioria dos casos, os ranges dos jogadores serão quase sempre mais amplos do que isto (a não ser, talvez, num pote em 6bet+). E é por isso que KK vs AA é um dos coolers mais inevitáveis que os jogadores podem experienciar no poker. É muito difícil evitar esse confronto.

Imagine o seguinte:

O Jogador 1 (você) faz raise para 2.5bb com KK. O Jogador 2 faz 3-bet para 9bb. Você responde com 4-bet para 22.5bb. O Jogador 2 faz shove de 100bb. Matematicamente, tem de fazer call a 77.5bb para ganhar 122.5bb.

Isso significa que você tem de ter 38.8% de equity para o call ser teoricamente correto. Contra um range de KK+ (1 combo de KK; 6 combos de AA), terá apenas 22.6%, o que significa que isto deverá ser fold. E mesmo que adicionasse apenas os combos suited de AK ao range do seu adversário (KK+, AKs) continuaria a ser fold (32.2% equity).

Contudo, assim que adicione os restantes combos de AK ou qualquer outra mão ao range do seu adversário, a sua equity atinge os 39% necessários para fazer call corretamente:

  • Contra um range de QQ+, KK tem 50% de equity;
  • Contra um range de KK+/AK, KK tem 47.3% de equity;
  • Contra um range de QQ+/AK, KK tem 57.2% de equity;
  • Contra um range de JJ+/AK, KK tem 62.6% de equity;
  • Contra um range de TT+/AK, KK tem 66% de equity.

E a partir daqui, à medida que o range expande, a sua equity apenas continua a aumentar.

Portanto, a única forma de fazer fold a KK pré-flop é, essencialmente, se tiver a certeza de que o seu adversário tem Ases.
 

reis contra ases poker


Como exemplo específico, imaginemos que um adversário faz raise UTG, você faz 3-bet UTG+1 com KK, UTG+2 faz cold 4-bet e a ação volta em fold ao raiser inicial que responde com um shove. Assumindo que ambos os jogadores são nits (tight) e que provavelmente fariam apenas call com QQ naquela posição, pode talvez assumir que um daqueles jogadores *tem de ter* Ases.

Contudo, tal como dissemos anteriormente, “sempre” ou “nunca” é perigoso no poker. Quem diz que QQ ou AK são mãos que nunca estariam incluídas no range destes jogadores nesta situação? Ou até bluffs aleatórios ou um range de mãos de valor mais amplo dependendo da dinâmica da mesa, dos jogadores envolvidos e da situação exata?

Tendo isso em conta, se a oportunidade aparecer, deve estar contente em fazer all-in com Reis pré-flop. Depois é só deixar as cartas ditarem quem ganha e quem perde.

Par de Reis: All-in

Tal como percebeu pelo que dissemos no capítulo anterior, se surgir uma situação que permita ir all-in pré-flop com par de Reis, abrace-a porque é uma oportunidade de ouro! Isto é especialmente verdade em cash games com stacks efetivas de 100bb. Onde tem de ter cuidado é nas situações em que poderá ir all-in com KK pós-flop. As texturas da board e ranges de mãos podem mudar drasticamente a equity do seu par de mão.

Contudo, relativamente a all-ins pré-flop, deve ser mencionado que quando os jogadores têm stacks extremamente grandes (250bb+), poderá por vezes ser correto fazer 3-bet/call com KK em vez de 3-bet/5-bet/call all-in. Decidir fazer 5-bet com Reis fará do seu range de continuação um range muito pequeno, revelando a força da sua mão, pois o mais provável é apenas fazer isto com KK+.

Para além disso, se o seu adversário acaba por responder com 6-bet estando tão deep, terá Ases muitas vezes. Ao fazer flat com KK contra 4-bet, também fortalece o seu range de call, tornando-o quase ilimitado e muito mais forte.

Quando Fazer Fold a Par de Reis?

Para muitos jogadores, pode ser difícil fazer fold a par de Reis quando surge o cenário certo para tal acontecer. Por isso, é essencial saber como jogar Reis pós-flop corretamente (quando fazer check/call/apostar/raise). Isto pode ajudá-lo a maximizar os seus ganhos e minimizar as suas perdas.

Tamanho das Apostas com Reis

Em termos de sizing, deve escolher as apostas que permitem que os seus adversários façam call com mãos piores. Muitos jogadores recreativos utilizam apostas grandes, do tamanho do pote quando estão a fazer c-bet com KK para proteger a sua mão e evitar que ela seja batida. Contra bons jogadores, esta tendência será, certamente, explorada.

De forma a ilustrar isto, suponhamos que você faz raise de 3.5x a big blind pré-flop com KK de uma posição inicial da mesa. A big blind faz call e a board vira 10-5-2. Caso barrile as três streets com apostas do tamanho do pote, é extremamente provável que, no showdown, esteja contra um set de Dez, Quinas ou Duques contra um jogador competente. 

Portanto, em boards secas, é importante diminuir o tamanho das nossas apostas de forma a encorajar os nossos adversários a continuar na mão com cartas piores. Em boards mais complexas, caso decida apostar, o tamanho das suas apostas deverá ser maior.

NOTA: A escolha do tamanho das suas apostas deve quase sempre basear-se na textura da board, a força do seu range e do range dos seus adversários e a forma como a sua mão encaixa nessas considerações.

Em algumas ocasiões, pode mesmo ser correto fazer check-back a Reis no flop em vez de fazer c-bet com eles. Imagine que está em early position contra um jogador que fez call na big blind, o flop vira 6-5-4 com duas copas e o Vilão faz check. É perfeitamente aceitável fazer check-back nesta situação (ou, se apostar, a aposta deve ser pequena). Isto porque o range do Vilão na big blind irá conectar muito mais com este tipo de flop do que o seu range EP.

Se o Vilão fizer check, você apostar e ele responder com um raise, você fica numa posição complicada. E se o Vilão acaba mesmo por fazer raise, você coloca-se numa situação um pouco mais fácil de manobrar caso aposte pouco. Ajuda a não descontrolar o tamanho do pote imediatamente.

Numa board 6-5-4 com duas copas, o Vilão pode ter sets, dois pares, straights e mega combo draws na big blind. E o melhor que você pode ter é, normalmente, um overpair, tendo em conta o seu range de open-raise de EP. Portanto, quando aposta, pense sempre sobre como reagirá caso o seu adversário contra-ataque e como a sua mão se relaciona com a textura da board vs o seu range e o do seu adversário. 

Considerações Gerais Sobre Fazer Fold com Reis

A questão mantém-se inalterada: Quando devemos fazer fold com par de Reis? Você pode reduzir as suas perdas e facilitar as suas decisões ao utilizar tamanhos de apostas ideais. Infelizmente, não há uma resposta específica para a pergunta. Será sempre dependente da situação.

Apesar de potes em 3-bet criarem um SPR mais baixo e, por conseguinte, facilitarem o compromisso com KK e irmos all-in pós-flop, em potes com apenas um raise pré, ter a capacidade de fazer fold face a agressividade dependerá de uma multitude de fatores como:

  • Quantas pessoas estão na mão?
  • Quais as tendências dessas pessoas.
  • Caso haja mãos piores, bluffs ou semi-bluffs, que mãos os seus adversários podem ter.
  • Quão amplo é o range do seu adversário, baseado na sua posição e tendências, para além da ação na mão até essa altura (NOTA: Lembre-se, o tamanho das suas c-bets influenciam a ação).
  • A textura da board e como isso se relaciona tanto com o seu range como o dos seus adversários.

Por último, boards mais complexas tornam os grandes pares de mão mais vulneráveis, em situações heads-up, mas especialmente em potes multiway! Não ache sempre que precisa de apostar para proteger os seus Reis, principalmente se for provável que a sua equity não seja considerável. Você não fará ideia de como prosseguir face a agressividade implacável por parte dos seus adversários no caso da board não favorecer a sua mão (e talvez se a board não favorecer o seu range de mãos, sequer).

Ases Contra Reis

AA vs KK será um dos coolers mais comuns no poker e é uma parte inevitável do jogo. No entanto, no longo prazo, a variância vai equilibrar-se e você acabará do lado vencedor tanto quanto acabará do lado perdedor. Apesar dos coolers terem um grande peso na variância no curto prazo, são os potes mais pequenos que ganha ou perde entre eles que medirão corretamente o seu sucesso como jogador de poker.

Tal como mencionado anteriormente, é vital reiterar que em jogos deep-stacked (200bb+) optar por NÃO fazer sempre 5-bet (ou de todo) e incluir KK num range de call a 4-bet pode, por vezes, ser vantajoso. Se fizer 5-bet/all-in, o mais provável é estar contra AA, mas ao fazer flat-call tem o benefício de manter mais amplo o range do Vilão em comparação ao range que ele teria caso fizesse 6-bet ou call a 5-bet. Apenas precisará de ter a sua estratégia bem afinada para navegar o jogo pós-flop com sucesso.

Como Bater Par de Reis

No calor do momento, no decorrer de uma mão de poker, você nunca saberá, especificamente, se está contra KK. Muitas vezes, será simplesmente outra mão que está incluída no range de mãos do último agressor pré-flop. Nestas situações, é crucial olhar para os tamanhos das stacks e as pot odds que tem para cada decisão que terá de tomar.

Se alguém em early position fizer open-raise (o que, normalmente, significa um range mais tight) e você estiver a pensar envolver-se na mão, terá de escolher mãos que joguem bem contra mãos mais fortes como Reis (levando as stacks em consideração, como é evidente).

Pares de mão funcionam bem em situações onde a stack efetiva é grande devido às boas implied odds (odds implícitas). Suited connectors também funcionam bem.

No geral, deve procurar ter implied odds de cerca de 10 para 1 para set-mining e 20 para 1 para suited connectors médios.

Por exemplo, imagine uma situação com uma stack efetiva de 100bb. Você faz raise com par de quinas do botão para 2.5x a bb. A SB faz 3-bet para 9bb, a BB faz fold e a ação volta a si. Nesta situação, estão 11.5bb no pote, 91bb na stack do seu adversário e você precisa de fazer call a 6.5bb para ter a possibilidade de ganhar todas essas fichas.

O seu par de quinas tem, portanto, implied odds de 16 para 1 e este é um spot perfeito para set-mining; na maioria das vezes, o jogador que fez 3-bet terá um range forte (incluindo todos os grandes pares) e você terá a oportunidade de ganhar um grande pote caso consiga acertar o seu set.

Estratégia: Como Jogar Reis num Flop Ás-alto

Digamos que você é o agressor pré-flop (seja num SRP ou com uma 3-bet) com KK e o flop vira A-X-X. E agora? Muitos jogadores congelam e não fazem a mais pequena ideia de como continuar nesta situação.

Normalmente, há dois caminhos a seguir com KK:

1. Pode fazer check (seja um check-back em posição ou check-call sem posição);
2. Pode fazer uma pequena c-bet (25-30% do pote), caso o deseje fazer e caso esses sizings façam parte da sua estratégia geral e não sejam apenas aplicados em situações como esta.

Fazer check a KK pode ajudar a manter forte o seu range de check. Também pode induzir os adversários a apostar (seja por valor ou em bluff) com mãos mais fracas do que a sua. Também gostaríamos de sublinhar que ter KK num flop Ás-alto é daquelas situações em que ou está muito à frente ou muito atrás. 

Nestas alturas, não precisa necessariamente de apostar pois não é claro se o estaria a fazer por valor ou em bluff. Por fim, ao fazer check com KK num flop Ás-alto, caso o seu adversário esteja muito atrás, também lhe dá a oportunidade de conectar com a board, de alguma forma, numa street futura. E a não ser que tal aconteça, dificilmente tirará valor dos seus Reis.

A opção 2 (c-bet pequena) também é uma forma aceitável de proceder nestas situações. Talvez possa apostar por valor caso as outras duas cartas para além do Ás estejam conectadas de alguma forma e você ache que um adversário fará call com um draw. Não deve fazer uma c-bet grande com KK nesta situação porque o range de call do vilão fortalece proporcionalmente ao tamanho da sua aposta (teoricamente).

Portanto, o range do vilão fica com mãos mais fortes que, por consequência, incluirão mais AX quando ele faz call a uma c-bet grande. Apostar menos permite que mãos como segundo e terceiro par continuem mais frequentemente, não permitindo que estas mãos realizem a sua equity gratuitamente enquanto que, em simultâneo, tiramos valor dessas mesmas mãos. 

Posto isto, temos de sublinhar que numa board como A-8-4, você deve ter mais tendência em apostar com pares como 99 do que com KK. Porquê? Imagine que o seu adversário tem QJ. Contra 99, QJ tem 27% de equity. Apostar pouco numa board Ás-alto com 99 fará com que, provavelmente, o seu adversário faça fold a uma mão que tem ainda uma quantidade considerável de equity contra si.

Obter esse resultado é muito bom porque não só nega a possibilidade do adversário realizar a sua equity como também garante que realiza a sua! Contra KK, QJ num flop A-8-4 tem uns meros 4.5% de equity! Ao fazer check, você dá ao vilão a oportunidade de conectar com a board de alguma forma aumentando a sua probabilidade de tirar valor da segunda melhor mão em streets futuras. 

Sumário

É muito provável que par de Reis seja uma das mãos responsáveis por grande parte dos seus lucros de longo prazo no poker. Como tal, é essencial saber como jogá-los bem e lucrativamente, de forma a garantir que maximiza o seu EV em todos os cenários.

Com as dicas que foram dadas neste artigo, esperamos que esteja bem lançado para conseguir fazer precisamente isso!

Boa sorte nas mesas!

Sobre o Autor
Por

Amante e jogador de poker, Frederico traz temas de interesse sobre a modalidade para o nosso blog. Artigos sobre estratégia, dicas, notícias ou simples curiosidades marcarão presença assídua aqui, na 888Poker.

Artigos Relacionados

Par de Damas - Como Jogar

Poker Coach - Será Para Si?

Dois Pares - Como Jogar

Melhorar o Bluff em 5 Passos

Transitar Para o Poker ao Vivo

5 Card Draw - O Guia

HORSE Poker - Regras e Estratégia

Lidar com Downswings

SPR - O Guia Definitivo

Abraçar a Sorte no Poker