Devido à existência de distintas variantes nos jogos de poker (as cartas hole – cartas dos jogadores viradas para baixo -, as texturas da board – todas as cartas comunitárias disponíveis na mesa -, os tamanhos dos montes das fichas, as posições na mesa, as tendências dos adversários, as posições na mesa dos adversários, a dinâmica de jogo, entre outras.) - cada mao que recebe no poker é realmente uma situação única.

Segue-se uma lista de diversas dicas sobre o bluff com o objetivo de lhe a dar as considerações necessárias para que possa ponderar quando executar um bluff – para além dos principais conceitos anteriormente discutidos neste livro.

 

DICAS ÚTEIS PARA EXECUTAR BLUFFS COM SUCESSO NO POKER

Dica 1: Os Bluffs Podem Ser Pequenos - não se iluda ao pensar que todos os bluffs precisam de ser grandiosos, de ter múltiplas cartas e que é necessário atrapalhar as competições. Até uma cbet - aposta contínua – mais baixa que ½ do tamanho do pote pode ser um bluff eficaz. Um 3bet - terceiro aumento numa ronda - menor, na presença de um pré-flop, também pode ser utilizado para cbets nos potes para destinados às 3bets. Embora as apostas maiores normalmente aumentem a probabilidades do adversário desistir da mão, nem sempre é necessário uma grande aposta num bluff. Bluffs mais baixos nas primeiras rondas também podem ajudá-lo a obter informação e aumentar as desistências dos adversários nas rondas seguintes (se optar por apostas mais altas nessas rondas).

 

bluff poker

Dica 2: Equilibre Os Seus Leques De Mãos E As Suas Jogadas - é importante equilibrar os seus leques de mãos e as suas apostas para que os seus adversários fiquem sempre na dúvida em relação à sua mão (se é a melhor possível, o valor da mesma, se é uma mão marginal ou se é bluff). Basicamente, isto significa que não deve jogar as suas mãos de poker sempre com o mesmo valor, nem fazer bluff sempre da mesma forma. Isto torna-o num adversário mais perigoso e muito menos previsível.

Dica 3: Se Necessário, Desista Do Bluff - não caia no erro de decidir fazer bluff durante 3 rondas e depois seguir avante quando o turn - quarta ronda - ou o river - quinta ronda - cria uma situação desfavorável para o seu leque de mão e/ou uma situação favorável para os seus adversários.

Dica 4: Ranges De Mão Polarizados - um leque de mão polarizado inclui tanto o melhor como o pior do seu leque e nada mais. Por exemplo, se apostar 200 € num pote de 100 € no river, esta aposta é uma aposta polarizada (isto é, você sabe que o seu adversário está a ganhar). Às vezes, fazer uma aposta que polariza o seu leque de mão pode ser muito eficaz quando sabe que o seu adversário não pode arriscar ao apostar esse montante com uma mão marginal como você acha que ele ou ela tem.

Dica 5: Procure Sinais De Fraqueza - Continuando o ponto anterior, se concluir que o seu adversário tem uma mão fraca ou marginal e que você consegue apresentar, de uma forma lógica, um tipo de valor pela sua mão nessa situação, você consegue capitalizar eficazmente ao pressionar o seu adversário com um bluff. Sinais de fraqueza podem incluir comportamentos físicos, a maneira de apostar, o tempo de aposta ou os comportamentos verbais.

poker bluff

Dica 6: Tenha Alguma Equidade - se o dinheiro for colocado no flop - no primeiro conjunto de cartas - ou no turn (isto é, para situações onde existe uma ou mais cartas comunitárias que ainda precisam de ser resolvidas) e se escolher fazer bluff com o dinheiro restante, normalmente é melhor fazê-lo quando tem uma hipótese de conseguir melhorar a sua mão.

Dica 7: Semi-Bluffs - embora iremos dedicar, exclusivamente, uma secção sobre o conceito de semi-bluff neste livro, é importante referir rapidamente o mesmo nesta secção. Em poucas palavras, um semi-bluff acontece quando aposta numa mão que não tem muito valor atual, mas que tem potencial para melhorar. (Um semi-bluff habitual é (1) apostar com um flush draw – “mão incompleta” de quatro cartas do mesmo naipe – ou (2) simplesmente quando faz uma aposta contínua com duas overcards - cartas maiores do que qualquer carta no flop). Se for possível, misture os semi-bluffs no seu jogo para acompanhar o seu bluff e as apostas por valor. Desta forma, junta outro recurso poderoso no seu arsenal de poker.

Dica 8: Arrisque O Mínimo - lembre-se que embora queira ter uma maior probabilidade de o seu adversário desistir da mão com os seus bluffs, é sempre importante arriscar o mínimo enquanto o faz. Desta forma, não está a perder mais dinheiro do que é necessário nas alturas em que o adversário assiste à sua aposta.

Dica 9: Lembre-Se De Utilizar As Cartas Viradas Para Baixo Como Informação: às vezes, pode utilizar as cartas na sua mão como informação com o objetivo de saber que cartas o seu adversário não tem. Por exemplo, digamos que após o river, há três Espadas numa board ímpar e o seu adversário aposta contra você. Embora você não tenha um flush – cinco cartas do mesmo naipe -, tem um Às de Espadas. Isto significa que, desde que não exista a possibilidade do seu adversário ter um straight flush – cinco cartas sequenciais do mesmo naipe -, o mesmo não tem a melhor mão possível. Nestas situações, se existirem critérios suficientes para realizar um bluff, será por vezes vantajoso aumentar a aposta e representar que tem o melhor flush disponível. Isto se achar que o seu adversário é capaz de desistir do seu leque de mão nessa circunstância.

 

bluff no poker

Dica 10: Realizar Um Bluff Obrigatoriamente Nos Momentos Certos - o bluff não é necessariamente uma escolha; é obrigatório na presença do momento certo e quando este assim o exige. Tal como quase sempre apostaria nas suas mãos mais fortes se o seu adversário passasse a ronda sem fazer uma aposta no river… Se o momento certo para fazer o bluff surgir, aproveite completamente e dê uma facada ao pote! Na pior das hipóteses: aprende com os erros e parte para a próxima ronda!

Dica 11: Tente Satisfazer O Máximo De Condições Para “Uma Boa Altura Para Fazer Bluff” - os seus bluffs são mais eficazes se se verificar todos os critérios adequados antes de os tentar fazer. Não escolha alturas inapropriadas para arbitrariamente realizar um bluff; espere pelos momentos oportunos e depois tire partido das fraquezas do seu adversário.

Dica 12: Não Há Problema Se Perder Com Os Bluffs - Não se preocupe se os seus bluffs não forem todos bem-sucedidos! Lembra-se da “percentagem do ponto de equilíbrio” discutido na última secção? Desde que os seus bluffs resultem em desistências as vezes suficientes, os seus bluffs tornar-se-ão rentáveis a longo prazo.

Dica 13: Melhore A Sua Capacidade De Leitura De Jogo - para se ser bom no poker é muito importante melhorar a sua leitura de jogo. Tire proveito de toda a informação que tem disponível (desde as tendências até às estatísticas dos comportamentos nas apostas, entre muitas outras informações) para criar um leque de mão para aquilo que acha que o seu adversário tem naquele momento em particular. Quanto melhor for o leque que oferece ao seu adversário, melhor você consegue contra-atacar a sua jogada e determinar, adequadamente, quando deve fazer bluff ou apostar por valor. Ao melhorar estas capacidades e com processos mentais superiores, também consegue começar a avaliar aquilo que o seu adversário pensa que você tem e vice-versa, o que acaba por levar o seu jogo para um patamar superior.

 

Vamos agora a outro elementos também importante nesta categoria, o Bluffcatch.

O que é Bluffcatch no Poker?

Bluffcatch no poker significa fazer uma aposta com uma mão que só ganhará se o nosso adversário estiver a fazer bluff. O termo bluffcatcher refere-se ao tipo de mão que temos quando fazemos bluffcatching, normalmente a uma mão de força média ou fraca. Assim que uma mão seja forte o suficiente para começar a vencer algumas das mãos legítimas do nosso adversário, já não deverá ser referida como bluffcatcher. Bluffcatching é um aspecto importante no poker - se não o fizermos nas situações certas, o nosso adversário poderá sair-se bem com o bluff com muita frequência.


Explicação de Bluffcatch

O termo bluffcatching é usado principalmente para descrever situações no river onde estamos a fechar a ação. Um call no river é considerado apenas um bluffcatch se não vencermos nenhum do range de apostas de valor do nosso adversário. Por exemplo, imagine a seguinte situação no Texas Holdem:

Mesa: Q7235
A nossa mão: QK

Temos aqui o top pair second kicker no river. A nossa mão deverá ser considerada aqui como bluffcatcher?

Tudo depende da ação. A nossa mão só deve ser considerada bluffcatcher se não esperarmos que o nosso adversário aposte em valores pior do que a nossa mão. Se o nosso adversário tem three-barrelling, ele terá AQ ou melhor, e a nossa mão pode ser considerada um bluffcatcher. Se o nosso adversário estiver focado somente numa ronda no river, ele poderá apostar com valor todos os pares altos, assim como mais fracos. A nossa QK não deve ser considerada um bluffcatcher nesta situação, porque supera algumas das mãos que o nosso adversário fará apostas de valor.

Exemplo de Bluffcatch utilizado numa frase -> Já tínhamos visto o nosso adversário a fazer bluff nesta situação antes e decidimos avançar com bluffcatch com a nossa mão de força média.

 

Como usar o Bluffcatch como Parte da sua Estratégia poker

A decisão sobre ou não fazer bluffcatch no poker é uma função de matemática simples. Se o nosso adversário estiver a fazer bluff acima de uma certa frequência, será matematicamente correto corrigir para bluffcatch. A dificuldade gira em torno de ser capaz de fazer estimativas de confiança em relação às frequências de bluffs dos nossos adversários em várias sessões. Iremos falar sobre isso mais tarde, por enquanto, vamos dar uma vista de olhos sobre a matemática do bluffcatching.

Qualquer decisão de river call no poker deve ser tomada depois de considerar as nossas probabilidades de pote. Com o bluffcatching também não é diferente. Vamos ver um exemplo.
 
Exemplo - Temos um bluffcatcher no river e o nosso adversário aposta o tamanho do pote. Estimamos que ele esteja a fazer bluff cerca de 20% das vezes. Teremos aqui uma bluffcatch lucrativa?

Estamos a receber aqui 2: 1 num call. Um modo mais claro de expressar essa ideia é que um call neste caso constituiria cerca de 33,33% do pote total, o que significa que precisamos ser bons pelo menos com esta frequência para fazer o call.

Se o vilão estiver a fazer bluff somente 20% das vezes, venceremos apenas 20% das vezes. Tal será claramente uma aposta não lucrativa, já que o nosso adversário não está a fazer bluff com a necessária frequência de 33,33%.


Estimar a frequência do bluff no river

As informações acima devem ser fáceis de entender, mas são apenas tão boas quanto a nossa estimativa em relação às tendências de bluff do vilão. Se as nossas estimativas não estiverem corretas, tomaremos consistentemente decisões más, mesmo que a nossa matemática de raciocínio seja clara.

Ser capaz de avaliar com precisão as frequências de bluff é algo que melhorará com o tempo e, na maioria dos casos, envolve uma consideração das seguintes variáveis.

Geral - a maioria dos jogadores de poker não faz bluff o suficiente, ponto final. Se não tivermos certeza da melhor decisão do river com um bluffcatcher, desistir deverá ser a nossa opção. Caso não tenhamos um verdadeiro bluffcatcher (porque vencemos parte do valor do adversário), o call será quase sempre a opção correta.

Número de Rondas - Quanto mais rondas o adversário percorreu, menor a probabilidade da sua aposta no river ser um bluff. O exemplo mais extremo disto é o triple barrel. Quando o jogador médio percorre o flop, turn e river, é muito improvável que ele esteja a fazer bluff com frequência suficiente, onde o river bluffcatching é incentivado. Bluffs de duas rondas (ou seja, turn e river) estão mais próximos da linha e outras variáveis ​​deverão ser consultadas ao tomar a decisão. Uma única aposta no river (após o check no flop e o turn), é geralmente um bluff com frequência suficiente, onde nos podemos sentir confortáveis ​​em pagar o river com qualquer bluffcatcher. Lembre-se de que, para se qualificar como um bluffcatcher decente, a nossa mão não deve ser tão fraca que corra o risco de perder para os bluffs do nosso adversário. Deve ser forte o suficiente para vencer todo o seu range de bluffs.

Posição - No que diz respeito a posição, a  análise indica que o jogador comum faz bluff com mais frequência OOP no river do que IP no river. Se nós mesmos somos IP, será mais provável que, em média, tenhamos um bluffcatch lucrativo.

Runout - Não deverá surgir como grande surpresa que os jogadores tenham mais probabilidades de fazer bluff nas mesas onde existam um maior número de possíveis busted draws. Em mesas em que todos os draws completam ou jogam no river uma mão feita de força média, geralmente é muito improvável que o nosso adversário esteja a fazer bluff com frequência suficiente para sermos incentivados a um bluffcatch. O jogador de poker comum não é habilidoso o suficiente para entender quando é correto transformar o valor do showdown em bluff; portanto, a reação natural deles é fazer check no river com todo o valor do showdown (diminuindo a frequência geral do bluff nas mesas onde as mãos fracas são improváveis).

Em sentido oposto, onde há um grande número de busted draws pelo river, é mais provável que um jogador tenha tendência a fazer bluff com muita frequência. Se eles selecionarem todas as mãos que parecem candidatas lógicas (valor zero de showdown), estas resultarão em bluffs com mais frequência do que deveriam, em teoria, permitindo um bluffcatch lucrativo.

Tendências - Certos sinais (tilt poker) em determinados adversários podem facilmente ser o factor mais importante na nossa decisão sobre a possibilidade de bluffcatch ou não. Alguns jogadores fazem bluff significativamente mais vezes do que outros. Se soubermos que o nosso adversário tem um histórico de efetuar o bluff agressivamente nos rivers, iremos errar naturalmente no lado do bluffcatching. Também podemos procurar padrões em termos de tamanho das apostas. Alguns adversários adquirem o hábito de apostar sempre meio pote no river quando fazem bluff. Se soubermos que eles vão fazer bluff por um tamanho e apostarem valor por outro, poderemos tomar decisões brutalmente eficazes de bluffcatch no river.

A próxima vez que estivermos numa situação de bluffcatch no river, os indicadores acima podem ser usados ​​como uma lista de verificação. Se a maioria das variáveis ​​apontar para bluffcatching, podemos sim bluffcatch, caso contrário, desista. Observe que as informações acima aplicam-se principalmente a cenários no river. Fazer bluff nas rondas anteriores é significativamente mais complicado, pois é preciso levar em consideração a expectativa de rondas posteriores após o call. Consulte a entrada do glossário em "valor esperado" para mais informações sobre a matemática por trás de uma situação difícil.

Por Matthew Cluff

 

Artigos Relacionados
Como Jogar Cincinnati Poker

Cincinnati Poker - Como Jogar

5 Padrões no Poker Que o Ajudarão a Crescer como Jogador e 5 a Evitar!

Padrões no Poker - Top 5

Guia Essencial Sobre as Regras das Apostas

Regras das Apostas

O Tamanho da Stack é Mais Importante do que a Posição, as Cartas ou os Adversários?

O Tamanho das Stacks

Que Pares de Mão Deverá Largar Pré-Flop?

Pares de Mão - O Guia

Estratégia RFI em NL Hold'em - Aspetos Importantes a Considerar

Estratégia RFI

MDF - Guia Prático

MDF - Guia Prático

Continuation Bets (C-Bets) - Porque é Que as Devemos Fazer?

Domine as C-Bets

Como Calcular a Minha Winrate no Poker?

Winrate no Poker

Courchevel - Ação, Mãos Gigantes e Pots Ainda Maiores

Courchevel Poker