Aviso: O conteúdo aqui apresentado tem uma finalidade exclusivamente informativa sobre um tipo específico de jogo e como jogá-lo. O objetivo deste conteúdo não é nem promover nem disponibilizar um tipo de jogo, mas simplesmente informar o jogador acerca de como jogá-lo.


Um par de mão (pocket pair) no jogos de poker é sempre um bom ponto de partida para uma mão. Ao invés de quando recebemos mãos como 9-3 ou J-5, com um par de mão sentimos que há esperança na possibilidade de ganharmos o pot. No entanto, saber jogá-los é imprescindível para termos o devido sucesso.

Seja com um par grande como Ases (Bullets) ou Reis (Cowboys) ou com um par mais pequeno como algo entre 99 e 66, há sempre uma forte probabilidade de ganhar algumas fichas. Para isso, é essencial compreender a verdadeira força dessas mãos e como devemos jogá-las.

Há muitas coisas a considerar, desde os oponentes até ao tamanho das stacks de fichas passando pelo tamanho das apostas e o nível do torneio. Neste artigo, fizemos questão de abranger todos estes temas para que, no final, seja um mestre dos pares de mão.

 

Índice

  1. Com Que Frequência Recebemos Pares de Mão?
  2. Pares de Mão Premium vs Os Restantes
    1. Como Jogar Estas Mãos Pré-Flop
    2. Fazer Raise e Apostar
    3. Fazer Fold
  3. Pares de Mão Médios e Baixos
    1. Como Jogar Estas Mãos Pré-Flop
    2. Fazer Raise e Apostar
    3. Jogar e Fazer Bluff com Pares de Mão Baixos
    4. Fazer Fold
  4. Um Par de Mão vs Outro Par de Mão

 

Com Que Frequência Recebemos Pares de Mão?

Em média, um jogador receberá um par de mão a cada 17 mãos, o que representa cerca de 6% das mãos que recebe no total. Esta estatística não inclui a força das mãos, mas, obviamente, quanto mais altas forem as cartas, maior a probabilidade de ganhar algumas fichas.

Tendo em conta o baixo número de pares de mão que recebemos, é imperativo jogá-los tão bem quanto possível – ou seja, ganhar o maior número de fichas possível todas as vezes. Ou, por vezes, saber fugir dos pares de mão sem perder muitas fichas atirando-os para o muck nos momentos certos.

Pares de Mão Premium vs Os Restantes

Todos os jogadores anseiam o momento em que recebem par de Ases, Reis ou Damas. Infelizmente, tal não vai acontecer frequentemente. Aliás, de acordo com os números no site WizardofOdds.com, a probabilidade de receber par de Ases é bastante baixa: uma vez a cada 221 mãos. Qual a probabilidade de receber essa mão duas vezes seguidas? Uma a cada 48.841!

Portanto, depender apenas de pares de mão altos não é uma estratégia que queiramos adotar no longo prazo. Os pares de mão mais baixos também ajudar-nos-ão a amealhar algumas fichas, mas maximizar os nossos ganhos quando recebemos os pares altos deve ser um objetivo.

Seguem alguns exemplos da percentagem de vezes que um determinado par de mão ganha a cada 100 vezes contra 7 ou 8 jogadores em showdown, o número médio de jogadores que é provável encontrarmos num torneio ou cash game.

Esta estatística é apenas uma média e a mão vai depender de inúmeras variáveis, mas o objetivo é demonstrar a força destes pares de mão.

Percentagem de Vitória dos Pares de Mão Altos
Mão 7 Jogadores 8 Jogadores
A-A 39% 35%
K-K 33% 29%
Q-Q 28% 25%
J-J 25% 22%

Como Jogar Estas Mãos Pré-Flop

Apesar destas percentagens parecerem baixas (até os Ases roçam apenas os 40%), é essencial perceber que a tabela acima é apenas um guia para dar uma ideia geral da força dos pares de mão. Jogadores com este género de mão quererão, geralmente, reduzir o número de jogadores ativos na mão ao fazer raise pré-flop – tornando, assim, a probabilidade de ganhar a mão muito mais alta.

Por exemplo, a probabilidade de ganhar um pot com AA sobe de 35% para 85% numa mesa de nove jogadores quando um raise pré-flop diminui o field para apenas um jogador para além do raiser. Caso dois jogadores façam call ao raise, essa probabilidade desce um pouco para os 73%. No caso dos KK, essas probabilidades são de 67% contra um jogador e 51% contra dois.

Mãos como AA e KK são extremamente fortes e os jogadores têm de estar dispostos a ir all-in com estas mãos premium. No nosso artigo sobre como jogar com par de Reis, escrevemos o seguinte:

“Ter a capacidade de jogar pares de mão (como Reis) é parte integral duma boa estratégia. Estas mãos fortíssimas pré-flop têm a capacidade de lhe dar os ganhos mais significativos no longo prazo entre todas as mãos iniciais do Texas Hold’em!”

QQ e JJ são mãos menos poderosas do que Ases e Reis. Quando temos estas mãos, overcards (cartas mais altas) na board serão sempre uma possibilidade e desconcertantes. Ainda assim, estas mãos devem ser jogadas como as mãos fortes que são e deve haver raises, apostas e 3-bets pré-flop.

Depois, caberá ao jogador navegar com a devida cautela num flop desconfortável (se for o caso) e tomar as decisões que ache mais corretas dependendo da textura da board e daquilo que conhece sobre o seu adversário.

Há outro conceito que gostaríamos de mencionar sobre QQ, JJ e até KK. Um Ás na board tornará mais difícil fazer call a movimentos de all-in pós-flop. Leituras sobre o oponente e o tamanho da sua stack serão fatores cruciais que influenciarão a decisão final.

Em fases finais de torneios de poker, também poderá ser menos bom fazer call a all-ins com QQ e JJ. Mais uma vez, a decisão caberá a cada um e deverá sempre depender do tamanho das stacks (do herói e do vilão) e de eventuais leituras que poderão haver sobre o adversário.

Fazer Raise e Apostar

Finalmente, um destes pares fortes chega-lhe às mãos. E agora, o que fazer? Os jogadores deverão quase sempre fazer raise ou 3-bet (ou mais) com este tipo de mãos. Um re-raise poderá fazer com que jogadores com QQ ou JJ abrandem, mas, no geral, agressividade é a melhor arma para jogar estas mãos pré-flop.

Como já dissemos acima, os jogadores deverão querer um número baixo de oponentes no flop para aumentar a sua equity na mão e, para isso, fazer limp deverá ser completamente ignorado como hipótese, tal como na maioria das situações.

No entanto, estas regras não são inflexíveis. Tal como escrevemos no nosso artigo dedicado ao Bet Sizing (Tamanho das Apostas), se acreditarmos que o nosso adversário fará call a raises pré-flop maiores do que o normal, então devemos fazê-lo de forma a tirar o máximo valor das nossas mãos premium como AA e KK.

Se tem uma mão fortíssima e há um jogador na mesa que fará call a um open raise de 10BB, então faça raise de 10BB! Adicionalmente, jogadores de poker ao vivo têm mais tendência para ver flops por um preço baixo e não queremos necessariamente ver um flop contra cinco jogadores com mãos fortes. Ao fazer raises maiores (com todo o nosso range) no poker ao vivo, reduzimos o número de jogadores na mão com mais frequência.

Em boards secas (boards com cartas baixas e pouca conexão entre elas) após um raise pré-flop, poderá ser interessante escolher o tamanho das nossas apostas com o objetivo de motivar jogadores com mãos inferiores a fazer call. Contudo, boards com possibilidade de flush e straight draws podem exigir apostas maiores para desencorajar os jogadores de fazerem call ou, pelo menos, para os fazer pagar o máximo possível para ver outra carta.

Fazer Fold

Apesar destes pares de mãos altos serem extremamente fortes, haverá sempre alturas em que precisaremos de os largar. Boards que possam indicar que o(s) nosso(s) adversário(s) têm flushes, sequências ou full houses, por exemplo, terão de nos colocar em sentido e a ponderar a possibilidade de fazer fold aos nossos pares. 

Para além disso, quando seguramos JJ e QQ teremos de ter cuidado com overcards na board. Contudo, tal não quer dizer que a nossa mão esteja sempre batida. Os nossos adversários poderão ter um par mais baixo ou, melhor ainda, falhado completamente o flop. Se tivermos JJ e a carta mais alta na board for uma Dama, não quer dizer obrigatoriamente que o nosso adversário tem uma Dama, ainda que possa apostar.

Lembre-se, a probabilidade de acertar um par no flop é de 32.4%. Mesmo que venha uma carta mais alta que o seu JJ, a sua mão pode estar viva e de boa saúde. Pode fazer sentido fazer call ou até raise contra uma c-bet do nosso adversário, mas agressividade contínua deve inspirar cautela.

Pares de Mão Médios e Baixos

As mãos apresentadas acima oferecem imenso valor caso tenha a sorte de as receber e ir a showdown num pot carregado de fichas. Outros pares de mão podem não ser tão fortes, mas ainda assim podem ajudar-nos a ganhar algumas fichas. Já outros pares de mão baixos têm muito menos valor. Como joga todos estes tipos de mãos terá um impacto na sua stack de fichas e no seu sucesso no poker.

Seguem alguns exemplos das vezes que estes pares ganham, em média, a cada 100 vezes contra 7 ou 8 jogadores em showdown, o número médio de jogadores que é provável encontrarmos num torneio ou cash game. Esta estatística é apenas uma média e o desfecho da mão vai depender de inúmeras variáveis.

Percentagem de Vitória dos Pares de Mão Médios e Baixos
Mão 7 Jogadores 8 Jogadores
10-10 22% 19%
9-9 19% 17%
8-8 18% 16%
7-7 16% 15%
6-6 15% 14%
5-5 14% 13%
4-4 14% 13%
3-3 14% 13%
2-2 13% 13%

Como Jogar Estas Mãos Pré-Flop

Olhando para a tabela acima, ficamos com uma ideia das expectativas de vencer com estas mãos. As melhores do grupo, 10-10, 99, 88 e 77 têm muito mais valor do que os pares de mão mais baixos.

Repare que a percentagem de vitória de 55 para baixo é praticamente a mesma. Estas mãos têm muito menos valor, mas ainda assim, podem ganhar pots dependendo da board e da situação.

Fazer Raise e Apostar

Fazer uso destas mãos tem um pouco mais de nuances do que quando jogamos com pares mais altos e a atenção aos outros jogadores na mesa e tamanho das stacks deve ser redobrada. Com a metade de cima destes pares de mão, o ideal será fazer raise e reduzir o número de jogadores que vão a jogo. A percentagem de vitória com 10-10 sobe para 75% quando estamos apenas contra dois jogadores e para 57% quando estamos contra três. Já os 99 têm uma percentagem de vitória de 72% contra 2 jogadores e 53.5% contra 3.

Estas mãos tornam-se muito mais fracas, no entanto, se pré-flop um jogador fizer 3-bet contra o nosso raise. Cartas mais altas na board criam, então, um problema ainda maior e os jogadores devem proceder com cautela. Apostas grandes ou raises pós-flop poderão forçar os jogadores a fazerem fold a estes pares de mão.

Quando os jogadores se encontram com poucas fichas em torneios poderão ser forçados a ir all-in com mãos desta categoria considerando que a sua stack em comparação com os níveis de blinds que se avizinham terá pouco ou nenhum valor. Obviamente, este cenário seria muito mais benéfico para o jogador se os pares com que vá all-in sejam os mais altos deste grupo de mãos.

Jogar e Fazer Bluff com Pares de Mão Baixos

Recebeu uma mão como 4-4? Caso haja alguns jogadores que tenham feito call, poderá ser boa ideia fazer call e juntar-se ao grupo. A grande esperança ao fazer call a raises com pares mais baixos é a de acertar uma terceira carta no flop, turn ou river para fazer um set. Geralmente, os sets são mãos fáceis de disfarçar dos nossos adversários e, dependendo da textura da board, podem significar pots bastante grandes.

Para além disso, fazer fold a estes pares mais baixos pós-flop é muito mais fácil do que com pares mais altos. No entanto, fazer fold pode não ser necessário. É positivo para o nosso jogo sermos agressivos ocasionalmente no flop. Esta estratégia abrange duas questões:

  1. O nosso adversário falhou o flop e nós ganhamos o pot;
  2. Agressividade impede que os nossos oponentes nos atirem para fora de pots consistentemente com continuation bets (c-bets).

Doyle Brunson, detentor de 10 braceletes WSOP, dá alguns conselhos sobre como jogar estas mãos e como saber meter o pé ao travão quando necessário:

“Se não souber jogar pares pequenos corretamente, não os jogue de todo. A verdade é que, se fizer sempre fold a estas mãos em early position, não estará a sacrificar grande coisa. Só se jogar da melhor forma possível é que conseguirá fazer dinheiro com pares pequenos das posições iniciais no longo prazo.”

No seu arsenal também terão de estar presentes alguns bluffs com estas mãos dependendo da mesa onde se encontra e de que leituras (reads) tem sobre os seus adversários. Jogadores tight podem ser bons alvos de bluffs com estas mãos. Mesmo que haja calls pré-flop, uma continuation bet pode ser suficiente para fazer os seus adversários saírem da mão e ganhar o pot.

Fazer Fold

Geralmente, com pares de mão mais pequenos, os movimentos principais pós-flop serão check e fold enquanto que com mãos como 10-10 e 99 a jogabilidade é consideravelmente melhor. Para pares mais pequenos, cartas mais altas na board serão sempre desconfortáveis.

Jogadores de torneio, especialmente em fases finais ou perto da bolha (bubble), poderão decidir fazer fold de algumas destas mãos (mesmo 10-10, 99, 88) quando confrontados com grandes raises. Obviamente, tal dependerá da situação e há vários fatores que influenciarão a decisão no momento: que tipo de jogadores estão à nossa esquerda, o nível de agressividade do jogador que fez raise, o tamanho da nossa stack etc. Tal como Doyle Brunson disse, largar estas mãos pode, por vezes, representar ganhos no longo prazo. Evita situações complexas e decisões difíceis em fases determinantes do torneio, onde as fichas têm muito mais valor. Obviamente, a linha que separa a decisão de fazer fold ou call/raise com estas mãos é extremamente fina e é importante termos a certeza de que não estamos a fazer fold numa situação onde não o devemos estar a fazer, de todo.

Um Par de Mão vs Outro Par de Mão

Um dos aspetos mais desafiantes do poker é fazer uma leitura apropriada daquilo que os nossos adversários podem ter.

  • Ele terá Ás-Rei ou Ases?
  • Ás-Rei ou Reis?
  • Esta 3-bet será em bluff?
  • 10-10 ou JJ serão bons suficientes nesta situação, após um re-raise?

Obviamente, perguntas como estas não são nada fáceis de responder. Nem todos têm a capacidade de leitura de Daniel Negreanu e algumas destas situações terão de simplesmente ser aceites como coolers tal como na mão que vos mostramos abaixo.

Por vezes, o dinheiro vai mesmo todo para o meio independentemente das reads que os jogadores possam ter um do outro.

No geral, manter os sentidos apurados na mesa ajuda:

  • Este jogador seria capaz de fazer um bluff desta envergadura?
  • Este jogador tem sido tight ou agressivo?
  • Ele parece confiante ou algo preocupado?

Saber as respostas a algumas destas perguntas ajudá-lo-á a descobrir qual a mão que o seu adversário poderá ter.

Também é crucial considerar onde se encontra num torneio. Valerá mesmo a pena arriscar a vida no torneio com uma mão como 10-10 ou 99 quando é possível vir a existir uma melhor oportunidade no futuro? A resposta poderá ser positiva considerando o estilo de jogo do seu adversário.

Até uma mão como Q♦Q♥ ganhará “apenas” 57% das vezes contra A♠K♣. Ainda há uma forte probabilidade de perder essa mão. Considere as suas opções e pense sempre em que fase do torneio está, qual a sua stack e quais as tendências do seu adversário.

Tomar decisões sensatas com pares de mão poderá levar a muito sucesso no poker online e ao vivo.

Sobre o Autor
Por

Amante e jogador de poker, Frederico traz temas de interesse sobre a modalidade para o nosso blog. Artigos sobre estratégia, dicas, notícias ou simples curiosidades marcarão presença assídua aqui, na 888Poker.

Artigos Relacionados
Como Combater o Poker Bot Perfeito?

Poker Bots - Como os Combater

O Derradeiro Guia Sobre Bluff no Poker

Bluff - O Derradeiro Guia

O Guia Fácil e Prático Para Aprender 7 Card Stud

7 Card Stud - O Guia

Top 10 Habilidades no Poker Para o Transformar Num Jogador Vencedor

Habilidades no Poker - Top 10

O Guia Definitivo Para Limit Texas Hold'em

Limit Texas Hold'em - O Guia

O Derradeiro Guia Para as Melhores Mãos Iniciais no Poker

As Melhores Mãos Iniciais

Saiba Tudo Sobre a Força das Mãos de Poker

A Força das Mãos

Como Jogar Cincinnati Poker

Cincinnati Poker - Como Jogar

5 Padrões no Poker Que o Ajudarão a Crescer como Jogador e 5 a Evitar!

Padrões no Poker - Top 5

Guia Essencial Sobre as Regras das Apostas

Regras das Apostas