Aviso: O conteúdo aqui apresentado tem uma finalidade exclusivamente informativa sobre um tipo específico de jogo e como jogá-lo. O objetivo deste conteúdo não é nem promover nem disponibilizar um tipo de jogo, mas simplesmente informar o jogador acerca de como jogá-lo.


A maioria dos jogadores de poker têm a noção de que nunca devem fazer limp. Fazer limp pré-flop significa entrar no pote pagando apenas a big blind, sem fazer raise.

Muitos limpers pré-flop entram no pote na small blind quando a ação chega a si em fold. Chamamos a este movimento “complete” ou “completar”. Mas os limps pré-flop também acontecem em posições anteriores à small blind. A esse movimento, os jogadores chamam open-limp.

Quase todos os jogadores de poker consideram fazer raise pré-flop um movimento mais forte do que fazer limp. A razão para isso é simples. Fazer raise dá-nos a possibilidade de ganhar o pote pré-flop sem ver o flop.

Mas é algo assim tão certo ao ponto de dizer que "fazer limp é sempre horrível"?

A maioria dos jogadores de elite compreendem que a discussão é mais complexa do que simplesmente declarar todos os limps pré-flop como algo mau.

E é precisamente uma análise profunda a este tema que pretendemos fazer neste artigo.
 

Índice

  1. Limp Atrás (ou Over-Limp)
  2. Completar a SB Heads-Up
  3. Completar a SB vs Vários Jogadores
  4. Fazer Limps de Outras Posições
  5. Uso Inteligente do Limp


Limp Atrás (ou Over-Limp)

Há uma diferença entre fazer “open-limp” e “over-limp”. Um open-limp apenas pode acontecer quando não há ação antes de nós. Um over-limp acontece quando há um ou mais limpers antes de nós.
 

limp 1st in
Open limpers entram primeiro no pote, over limpers entram já com 1+ jogadores no pote


Open-limpers são, geralmente, do nosso interesse. Jogadores que o fazem são, normalmente, fracos e é lucrativo jogar o maior número de mãos possível contra jogadores fracos.

A técnica padrão é fazer raise contra estes jogadores (conhecido por “iso-raise”). Esta jogada tem como objetivo isolar o jogador que fez limp para disputar o pote heads-up.

Há um limite sobre o quão amplo o nosso range de mãos pode ser quando fazemos iso-raise. Há mãos com que, obviamente, não podemos fazer iso-raise. Mas, não obstante, adoramos uma oportunidade de nos envolvermos num pote contra um jogador mais fraco.

Operar sob o paradigma de “devemos fazer raise ou fold” pode ser problemático neste caso. Acabaremos por fazer um iso-raise com um range demasiado amplo e questionável ou passaremos a oportunidade de jogar um spot lucrativo. Nesse sentido, fazer over-limp permite-nos jogar lucrativamente sem investir em demasia.

Completar a SB Heads-Up

A maioria dos limps acontecem na small blind. Tecnicamente, um limp da SB não é bem um limp. É muito mais correto referir-nos a eles como “completes”. Já investimos 0.5bb na SB e apenas precisamos de completar o total da BB ao adicionar aquela meia bb extra. 

Muitos jogadores aplicam uma lógica convencional de limp à SB:

  • Completar a SB é terrível
  • Devemos fazer raise ou fold quando a ação chega a nós em fold na SB.

A maioria dos jogadores ganhadores compreendem que completar na SB pode fazer parte integral duma estratégia sólida.

E há pelo menos duas razões para isto, tal como veremos nos dois capítulos seguintes.

Razão #1: Jogar Mãos Contra Jogadores Mais Fracos
 

small blind 888poker
Completar vs raise na SB contra jogadores fracos na BB


Imagine o seguinte cenário. A ação chega a nós em fold pré-flop na SB e olhamos para 86o. Naturalmente, não é uma grande mão.

Pensando sob o modelo do “raise ou fold”, esta mão devia ir para o muck pré-flop.

Mas olhamos para a esquerda e percebemos que a BB é um jogador extremamente fraco. Ele adora jogar muitas mãos e tem colocado imensas fichas em jogo pós-flop com lixo. Começamos a sentir-nos um bocadinho melhor sobre a possibilidade de fazer open-raise.

Digamos que o nosso open pré-flop é, tecnicamente, demasiado amplo. As implied odds (odds implícitas) pós-flop devem compensar, neste caso. Portanto, fazer raise pode muito bem ser melhor do que fazer fold.

Mas será que há uma terceira opção melhor do que todas as outras?

Acertou, completar a SB! Podemos, ainda assim, jogar um pote contra um jogador mais fraco, mas o nosso investimento inicial mantém-se baixo. 

Há pouco valor em fazer open-raise com 8-alto na SB se não esperamos que o nosso adversário na BB faça fold. Ele até pode fazer um mau call pré-flop com Q2o, mas isso não será benéfico para nós. Ele está, ainda, a investir dinheiro naquele pote como favorito a nível de equity.

Segue um exemplo de um possível range de limp vs um jogador mais fraco na BB:

  • Azul = Open-raise
  • Roxo = Limp
  • Verde = Fold
     
range limp vs jogador fraco big blind poker
Possível range de limp vs um jogador FRACO na BB


Razão #2: Teoricamente Mais Forte Contra Bons Jogadores na BB

Completar a SB independentemente da BB é uma moda que começou em high stakes e acabou por chegar aos limites mais baixos. Alguns profissionais de high-stakes decidiram que completar a SB tira uma maior vantagem da estrutura de blinds.

Apenas precisamos de investir 0.5bb para fazer complete e ver um flop num pot de 2bb.

Com “raise ou fold” torna-se difícil jogar mais do que cerca de 36% das mãos da SB contra um jogador competente na BB até porque estaremos sem posição. Ao utilizar uma estratégia que envolva completes, podemos jogar cerca de 70% das nossas mãos lucrativamente.

A versão extrema desta estratégia envolve remover completamente todos os open-raises da SB e apenas completar com mãos com que pretendemos continuar.

Quando estamos face a um raise da BB, separamos o nosso range de defesa em:

1. Limp-calls
2. Limp-raises
3. Limp-folds

Segue uma tabela dum possível range neste contexto:

  • Vermelho = Limp-Raise
  • Cor-de-Laranja = Limp-Raise (Bluff)
  • Preto = Limp/Call
  • Roxo = Limp/Fold
  • Verde = Fold
     
Possível range de limp vs jogador FORTE na BB
Possível range de limp vs jogador FORTE na BB


Completar a SB vs Vários Jogadores

Completar a SB é especialmente importante quando há um ou mais limpers à nossa frente porque temos uma oportunidade de jogar contra um ou mais adversários mais fracos. Tal como no conceito de over-limp, haverá mãos no nosso range que serão fracas demais para fazer iso-raise.

Mas não queremos desistir da possibilidade de estarmos envolvidos num pote contra um jogador mais fraco.

Devemos procurar defender cerca de 70% das nossas mãos na small-blind quando estamos contra um ou mais limpers.

Faremos iso-raise com as melhores mãos e faremos complete com a maioria das restantes mãos na esperança de ver um flop barato.

Possível range de complete da SB contra um open-limp:

  • Cor-de-laranja = Iso-Raise
  • Roxo = Limp (Complete da SB)
  • Verde = Fold
     
Possível range de complete da SB contra um open-limp
Possível range de complete da SB contra um open-limp


Fazer Limps de Outras Posições

Continuamos a não recomendar fazer open-limp exceto da SB. Mas não há provas de que fazer open-limp é tão mau quanto os jogadores pensam.

Open-limpers não costumam safar-se no poker. Não têm um conhecimento técnico apurado e acabam por cometer muitos erros pós-flop. E é isso que resulta numa baixa winrate, mais do que o simples movimento de fazer open-limp.

E se começássemos por fazer limp pré-flop, mas aplicássemos uma estratégia agressiva e forte pós-flop? Um jogador com esse estilo talvez tivesse facilidade em lucrar.

Obviamente, não conseguiremos roubar o pote pré-flop tantas vezes, mas temos ainda três streets pós-flop para o fazer.

Dizer “fazer limp é mau porque não podemos roubar as blinds” é comparável a dizer “nunca devemos fazer float contra c-bets no flop porque não temos fold equity direta”.

Muitos jogadores compreendem que esta recomendação não faz sentido, pois o objetivo de um float no flop é roubar o pote em streets futuras. Definimos a expectativa de qualquer jogada ao olhar para todas as streets que se seguem e não apenas se pudermos ganhar direta e imediatamente.

Um pequeno grupo de jogadores high stakes online consciencializaram-se disto. Passaram a testar estratégias que envolvem fazer open-limp de posições que não a SB. Mas é ainda incerto se esta moda vai pegar.

Mas é interessante perceber que foi precisamente assim que os completes na SB se tornaram populares.

Os profissionais de high stakes também têm a vantagem de serem mal interpretados como jogadores recreativos. Os seus adversários podem tentar fazer iso-raises muito amplos contra eles e deixam-se vulneráveis a limp-raises e outras armas que os profissionais tenham no seu arsenal.

Sumário: Uso Inteligente do Limp

Segue um pequeno sumário daquilo que discutimos neste artigo sobre fazer limp no poker:

  • A principal lição é que fazer limp nem sempre é incorreto. Na verdade, fazer limp pré-flop parece poder ser aplicado em diversas situações estratégicas diferentes. 
     
  • Deve procurar defender cerca de 70% das suas mãos na small blind quando está contra um ou mais limpers.
     
  • Considere completar a SB quando está heads-up contra um jogador fraco na BB. Consegue, ainda assim, jogar pós-flop contra um jogador mais fraco, mas investindo menos do que se fizesse raise.
     
  • Os melhores jogadores terão a capacidade de pensar lateralmente. Eles compreendem quando fazer limp faz sentido e quando não faz.
     
  • Dizer que fazer limp é “mau” sem pensar muito no assunto acaba por nos negar a utilização de uma ferramenta que nos pode ser muito valiosa nas mesas.
Sobre o Autor
Por

Amante e jogador de poker, Frederico traz temas de interesse sobre a modalidade para o nosso blog. Artigos sobre estratégia, dicas, notícias ou simples curiosidades marcarão presença assídua aqui, na 888Poker.

Artigos Relacionados

Par de Damas - Como Jogar

Poker Coach - Será Para Si?

Dois Pares - Como Jogar

Melhorar o Bluff em 5 Passos

Transitar Para o Poker ao Vivo

5 Card Draw - O Guia

Par de Reis - Como Jogar

HORSE Poker - Regras e Estratégia

Lidar com Downswings

SPR - O Guia Definitivo