A contagem de cartas apesar de parecer mística nos filmes é na realidade um cálculo muito mais matemático e assente em probabilidades. Neste artigo aprenderá:

  • Como funciona a contagem de cartas
  • As regras da multiplicação de cartas
  • O ardil das probabilidades contaminadas

Sumário

 

Introdução 

A contagem de cartas pode ser usada para aumentar o seu potencial de lucro na mesa e é também considerada uma forma de desafiar a sorte e tentar controlar o resultado do jogo. Todos sabemos que jogos como Texas Holdem Poker por exemplo assentam na dose certa de sorte, observação, perspicácia e perícia, o Blackjack sendo um popular jogo de casino é baseado sobretudo na sorte e é aqui que muitas vezes tentam introduzir a contagem de cartas como estratégia. Aprenda as melhores maneiras de como contar cartas no poker em 888poker.

 

A contagem de cartas no poker funciona? 

Já vimos isto antes nos filmes. Um grupo de especialistas em matemática dominam as mesas de blackjack num casino famoso, usando técnicas para contar cartas. O casino nem sabe o que aconteceu, só sabem que estão perdendo dinheiro, e rápido!

De qualquer modo, estamos é interessados em saber se podemos usar as mesmas técnicas nas mesas de poker e faturar alguns belos dólares dos Estados Unidos. Na verdade, é um pouco diferente no poker online, mas ainda assim existem algumas técnicas úteis que podemos aproveitar.

No poker, a contagem de cartas é simplesmente um componente de uma estratégia muito mais ampla. Não é usada isoladamente como nas mesas de blackjack.

 

Como funciona? 

O conceito geral é idêntico ao do blackjack; queremos acompanhar as cartas que continuam no baralho para poder estimar as nossas probabilidades de lucrar muito. A primeira habilidade necessária é estar ciente do número específico de cartas que nos podem ajudar.

Suponhamos a seguinte mão na textura do flop (abertura) abaixo: contar cartas

contar cartas


Acalme-se e pense um pouco. Quais as cartas que nos poderiam ajudar no turn? Assim que tiver uma resposta, veja se consegue contar o número específico de cartas que nos ajudarão.

As primeiras cartas que adoramos são as de ouros. Há 9 dessas no baralho. Um Ás também pode nos dar a melhor mão e ainda há três Ases no baralho. É verdade que um Cinco também pode nos dar a melhor mão em algumas situações, mas é suficientemente fraco para não querermos contar com ele. Assim, e por enquanto, podemos calcular que temos 12 boas probabilidades ("outs").

 

Colocar o processo em prática 

A primeira vez que fazemos este tipo de cálculo poderá demorar um pouco. Isso porque tivemos que contar individualmente cada carta que pode nos ajudar. O bom é que há atalhos, com base no tipo de mão que temos.

 

Tentativa de Flush (Flush draw, FD)

9 probabilidades

Tentativa de Straight com 2 pontas (Open-ended straight draw, OESD)

8 probabilidades

Gutshot (a carta que falta para o Straight está no meio)

4 probabilidades

2 cartas maiores da mesa

6 probabilidades

1 carta maior da mesa

3 probabilidades

Bottom pair (par com a menor carta da mesa)

5 probabilidades para 2 pares/trios

OESD e FD

15 probabilidades

Memorizar esta lista vai ajudar a não perder tanto tempo a calcular no meio de uma mão. Tal deixa-nos livres para pensar nos adversários e fazer a melhor jogada. Mas, ainda falta uma coisa. Como saber se o número de probabilidades ("outs") que temos realmente nos ajuda?
Calcular a equidade do pote

Saber o número de probabilidades que temos permite-nos estabelecer algo muito importante, a "equidade" do pote que nos cabe. Basicamente, Equidade é uma maneira especial de dizer a nossa probabilidade de formar a mão e, quem sabe, limpar o pote. Podemos usar uma regra simples para calcular a nossa equidade. “A regra da multiplicação por 2 e 4” ou a “Regra do 4 e 2”.

Essa regra só funciona quando estamos no flop (abertura) e no turn; então, não tente usá-la antes do flop ou no river, quando não há cartas para vir.

 

Regra da multiplicação por 2 e 4 (Regra do 4 e 2) 

No flop, multiplique o número de probabilidades por 4 para calcular a equidade do pote.
No turn, multiplique o número de probabilidades por 2 para calcular a equidade do pote.

Assim, se se voltar ao nosso exemplo anterior, no qual tínhamos a tentativa de Flush (flush draw), estabelecemos que teríamos 12 probabilidades.

Podemos estimar a nossa equidade no pote multiplicando o nosso número de probabilidades (12) por 4, pois estamos no flop (abertura). Isso significa que temos uma chance aproximada de 48% de obter o nosso Ás ou Flush no river. Lembre-se de que é uma estimativa e o cálculo real é um pouco mais complexo. Não queremos passar o nosso tempo pensando nisso durante uma mão real. A regra da multiplicação por dois e quatro (Regra do 4 e 2) deve ser suficientemente precisa para tomar excelentes decisões na mesa.

MATEMÁTICA – se realmente odeia matemática, pode saltar esta secção. Mas, para os interessados, como funciona exatamente a regra da multiplicação por 2 e 4 (Regra do 4 e 2)?

Suponhamos que estamos no turn com 9 probabilidades. Há 46 cartas desconhecidas ainda no baralho. Isso significa que a probabilidade de sucesso é de 9/46. Se imaginarmos que havia 50 cartas no baralho, em vez de 46, podemos simplificar essa probabilidade para 9/50, que é o mesmo que dizer 18/100 ou 18%.

Entretanto, o valor real de 9/46, quando expresso em percentagem, é de 19,5% e não 18%. Na realidade, tivemos que multiplicar o nosso número de probabilidades por 2,174, mas quem tem tempo para isso durante uma mão real? É bem melhor fazer uma estimativa decente com base em números fáceis.

 

Cuidado com as probabilidades contaminadas 

Já se encontrou numa situação em que forma a sua mao e perde um monte de fichas para uma mão bem melhor? Não há nada que possamos fazer em relação a isso, é simplesmente a natureza dos jogos de poker. No entanto, em determinadas situações, pode ser por não prestar a devida atenção às nossas probabilidades que estavam “limpas”. O que quer isso dizer?

Veja a mão e textura das cartas da mesa (board) a seguir.contar cartas

contar cartas

Quantas probabilidades ("outs") diria que temos nesta situação? À primeira vista, parece que temos uma grande quantidade de probabilidades. Temos uma tentativa de Straight com duas pontas e uma tentativa de Flush. Esse tipo de mão pode ser chamada de “combo-draw” (combinado de probabilidades). Se consultarmos o gráfico acima, veremos que temos 15 probabilidades incríveis que podem levar-nos a um Straigh ou Flush. Duas delas podem até nos levar ao Straight Flush!

Mas, vamos pensar um pouco. E se o K de copas aparecer no turn? Teremos um Flush, e poderemos simplesmente agarrar no dinheiro todo o mais rápido possível? Tal seria uma má ideia, pois qualquer coração melhor poderá nos derrotar. E se conseguirmos o 9 de espadas? Agarrar o dinheiro e reservar o próximo voo para Vegas? Dificilmente... qualquer 10 nos derrotaria. Ainda existe a probabilidade do nosso adversário ter conseguido o flush no flop, deixando-nos em apuros...

O problema que temos aqui é que a maioria das nossas probabilidades está “contaminada”. Estas realmente podem trazer-nos problemas quando alcançadas. Estamos principalmente interessados em probabilidades “limpas”, o que significa que estas nos darão a melhor mão com frequência quando conseguirmos. No exemplo acima, algo como o 4 de copas ou o 9 de copas seria uma opção “limpa”, porque nos daria o Straight Flush. Mas, se o 9 de copas falhar, o 10 de copas tornará possível um Straight Flush maior.

 

Histórias de Contar Cartas 

Sempre que ouvimos falar de contar cartas este feito é descrito quase como se fosse um superpoder, algo que apenas os génios conseguem concretizar! A realidade é que não é uma tarefa simples, mas acredite ou não foi imortalizada no cinema por ter sido executada por nada menos do que estudantes universitários. O filme 21 de 2008, produzido e protagonizado por Kevin Spacey, contava precisamente a sua história, um grupo de jovens da conhecida universidade MIT que contavam cartas num elaborado esquema, utilizando para o efeito vários membros do grupo em várias mesas que vigiavam a contagem até ao momento certo. Um professor supervisionava a operação e ensinava a cada “aluno” o caminho das pedras para a mesa e casino perfeito.

Outra história interessante é a de Ben Affleck, o conhecido actor de Hollywood famoso por títulos como Armageddon ou Pearl Harbour. Ben foi convidado a sair de um dos mais conhecidos Casinos em Las Vegas, o Hard Rock, porque se acreditava que este teria contado cartas durante um jogo de Blackjack. A pior parte e que se tratava de um jogo de high stakes, apostas elevadas com muito dinheiro na mesa e em cada aposta.

Um dos casos de maior sucesso no que diz respeito à contagem de cartas pertenceu a Edward Thorp, o autor de renome do livro “Beat the Dealer”. Na data da sua publicação em 1962, o livro “Beat the Dealer” ou “Vença o Dealer” revelou inúmeros segredos sobre a contagem, mas o maior segredo foi talvez o de fazer com os seus leitores acreditassem que era possível bater o dealer de blackjack ao utilizar certas estratégias e técnicas. O que para a maioria de nós parecia tarefa impossível era agora teorizado e apresentado como realidade.

Edward Thorp para além de entusiasta de Blackjack (e contador de cartas), escritor, ele era também matemático e gestor de um fundo de investimentos. Tornando-se um dos maiores contadores de cartas de sempre, Thorp investigou e testou as suas técnicas nos mais diversos casinos em Reno e Las Vegas antes do seu livro ter atingido o sucesso e ter ensinado a terceiros a compreender e conhecer as suas táticas. Naquele tempo não era um ato criminoso, e o seu objetivo primário era o de pesquisar e aprender mais sobre o processo, a matemática e estatística por trás das cartas e da sua sequência de saída.

Há mais histórias para contar é certo, mas nem todas acabam da melhor forma, a ilegalidade do ato e a emoção do momento têm de conviver em ambiente saudável para não levarem a melhor de si.
 

Conclusão 

Sendo o conceito novo, levará um pouco de tempo para o implementarmos com eficiência. O próximo passo de como contar cartas no poker nesta curva de aprendizagem específica é começar a pensar sobre como a equidade que nos cabe no pote está relacionada com nossas probabilidades ("pot-odds"). Às vezes, podemos ter sorte com uma equidade relativamente pequena do pote, se as nossas probabilidades de vencer a mão (pot-odds) forem excelentes. Supondo que não tenhamos excelentes probabilidades (talvez o nosso adversário faça uma aposta grande), geralmente precisaremos ter maior equidade no pote para que possamos continuar. Se qualquer uma dessas dicas parecer difícil à primeira vista, não se preocupe, tudo vem com o tempo... pode apostar nisso!

Sobre o Autor
Por

Os artigos sobre poker que não vai querer perder. Tudo sobre o melhor poker físico e online, em Portugal. Encontrará aqui artigos sobre 888 Poker e os seus torneios e todos os eventos especiais que possam ser do seu interesse. Abordamos igualmente o tópico sobre estratégias de jogo, mãos de poker, dicas vitais para vencer nas mesas, curiosidades, factos e tudo o que se possa relacionar com o poker em Portugal.

Artigos Relacionados

Objetivos no Poker

Poker Solvers - Saiba Tudo

Magnus Carlsen no Poker?

Open-Raises em 6-Max

Ações no Poker

Par de Damas - Como Jogar

Poker Coach - Será Para Si?

Dois Pares - Como Jogar

Melhorar o Bluff em 5 Passos

Transitar Para o Poker ao Vivo